Nos passos de Cristo

evangelista-jonas-dias-de-souza

“Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus”. Filipenses 2.5 – NVI

Ao longo da história da igreja primitiva, os problemas comportamentais, quase sempre protagonizados pelos judaizantes, foram alvos dos escritos doutrinários feitos pelos apóstolos. Pedro, Tiago, João e Paulo desenvolveram uma teologia prática baseada, obviamente, na própria Vida e ensinos de Cristo, para corrigirem certos comportamentos antagônicos à vida cristã, existentes na igreja.

Só na Epistola escrita por Paulo aos filipenses encontramos diversas atitudes incoerentes com o “ser cristão” (modus vivendi): Contenda, vanglória, disputa, murmuração, somando-se a isto as controvérsias promovidas pelos legalistas judeus aos quais chamou de cães, maus obreiros e falsa circuncisão, dentre outras.

Embora a falta de integridade de alguns cristãos filipenses, a igreja gozava do prestígio indizível do Apóstolo que se alegrava muito pelo coração voluntário e generoso demonstrado a ele quando esteve na prisão como forma de gratidão pelo trabalho missionário desenvolvido por ele em Filipos (At.16.9-34;Fil.4.18). Essas virtudes o levaram a declarar-lhes: “Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês vai completá-la até o dia de Cristo Jesus” (1.6-NVI). Sempre há tempo de melhorarmos nossas atitudes!

Paulo lhes ensina que era lhes necessário trilhar o caminho da identificação com Cristo, ou seja, deviam portar-se “dignamente conforme o Evangelho de Cristo” (1.27), e, “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus”.

Quais atitudes de Cristo deveriam imitar? Um estudo minucioso do texto, podemos extrair ao menos três importantes atitudes aos quais deveriam imitar:

  • A não pretensão: Vaidade exagerada. Não houve em Cristo vanglória alguma, nem orgulho, nem soberba ou prepotência, Em vez disso, o desapego e o despojamento “…embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era  algo a que devia apegar-se”.(v.6)
  • A humildade: Essa humildade não tem nada a ver com a fraqueza de caráter ou algo de vil aparência. Mais, refere-se sim, à humildade de coração (Mt. 11.29)que é a ausência da perversa ostentação,luxo e exibição coisas que não condizem com o ser como Cristo. “Mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens”. (v.7).
  • Obediência e Submissão: Obediência voluntária à vontade do Pai à qual se dedicou prazerosamente e na qual também esteve sempre alinhado. Muitas vezes nosso orgulho e caprichos, qual de um filho mimado, levam a fazer de Deus “o gênio da lâmpada”. Sua Submissão nos ensina como devemos viver em harmonia com a ordem social e em respeito às leis. Cristo ensinou que devemos o respeito e submissão às autoridades constituídas quando ordenou a dar a “Cesar o que é de Cesar”, quando ele mesmo pagou o tributo (Mat. 17.27) e entregou sua vida às autoridades para cumprirem o propósito divino com respeito à sua morte, preso e morto como um malfeitor (At 3.15-18). ..“Humilhou-se a si mesmo e foi obediente até a morte, e morte de cruz”! (v.8).

Portanto nós cristãos, que professamos a fé em Cristo, Nosso Senhor e Mestre, temos essa nobre tarefa, a qual muitas vezes tem sido negligenciada: a de sermos seus imitadores (Cor. 11.1) e seguidores dos seus passos (I Ped. 2.21; I Jo 2.6). Outros sentimentos que aprendemos dEle como o Amor, Compaixão, Verdade, Justiça,Santidade, devem se transformar em atitudes que refletem em nós Sua imagem (Rm 8.29) e a formação do sEu caráter (Gl 4.19). Esse é o verdadeiro sentido de ser cristão: Ser como Cristo! Uma contracultura num mundo cheio de ódio, contenda e disputas!

Ev. Jonas Dias de Souza
Bacharel em Teologia
Professor na Teologia Kids e Teens.

Comentarios

comentarios